mudança

 

Roberto,

Deixo esse bilhete porque é a única maneira de me comunicar sem o caos das palavras  gaguejadas e violentas tão comuns nas separações.

Aqui, em meio a tantas caixas de papelão, percebo o absurdo da situação –  Não que eu ache que a separação tenha sido absurda, mas a situação é – Ter que separar lembranças, sentimentos, histórias. O “nosso” vira meu e teu – É aí que a ficha cai. Separar e encaixotar são ações do fim. Alguns diriam que é do recomeço também, mas em meio a essas caixas, só consigo pensar no fim. Fim de uma relação, fim de uma história, fim de um amor.

Não precisa se preocupar, eu estou bem. Já tem uns 5 meses que sabíamos que isso aconteceria, mas estávamos com tanta preguiça de pensar nisso que fomos levando. Adiamos. Adiamos o fim.

Mas como não podemos escapar dos desfechos inevitáveis da vida, aqui estou eu, escrevendo esse bilhete em cima da última caixa fechada. Te escrevo para dizer que acho que consegui pegar a minha parte do que era nosso. Levo os lp’s do Bowie, Dylan, Titãs, Queens, Caetano, Chico, Bethânia, todos dos Beatles, os da Ella, mas deixei os do Pink Floyd…você escuta mais do que eu. Levei todos os cds. Lembro de você falando:  “Pra que comprar cd se temos um hd de milhões de giga?”. Sempre fomos diferente nisso, né? Você sempre prático, desapegado e eu guardando lembranças. Bem, também levei todos os livros. Ler nunca foi das tuas coisas preferidas, mas pode deixar que deixei os teus de design. Nunca gostei de livro técnico, acho que eles são mandões e se acham superiores. Lembro que no começo você ria quando eu dizia isso. “Como é que livros podem ser mandões e ter sentimento de superioridade?”. Você dizia e ria. Ria muito e me beijava. Depois começou a achar besta e, por fim, achou, simplesmente, sem graça. Assim como eu já não achava a menor graça naquela tua sandália de couro. É…isso já tem uns 5 meses. Mas como eu disse, estávamos com preguiça.

Eu acho que é isso. No resto das caixas tem roupa, meus álbuns, coisas de cozinha que eu trouxe da minha antiga casa, livros de receita, minhas luzinhas de natal. Tudo que já era meu, antes de eu juntar ao que era nosso.

O caminhão passa amanhã pra buscar minhas coisas. Vou deixar a chave na portaria.

Espero que você consiga pagar as prestações do financiamento do apartamento.

Fique bem!

Beatriz

p.s: Deixei o quadro que tua mãe me deu de aniversário. Não gosto muito dele….nem dela.

Anúncios