Blitz

–       Documento do carro e carteira de motorista, por favor.

Ela estava errada e sabia que o momento era de decisão rápida.

–       Boa tarde!! Só um minutinho que vou pegar aqui na bolsa. Pronto, aqui está o documento.

–       Ok, senhora. Agora só falta a carteira de motorista.

Pois é, falta mesmo! Pensa rápido, pensa rápido…

–       Ah sim! Que cabeça a minha. Vou pegar aqui na carteira… Ops! Cadê minha carteira? Não estou achando.

–       Algum problema senhora?

Problema? Problema nenhum.  Só que a minha carteira está vencida há dois meses e eu estou tentando pensar rápido numa maneira de te enrolar e não tomar uma bela multa.

–       Sim, sim. Eu não estou achando minha carteira. Olha só que horror! Acho que esqueci em casa a carteira com meus documentos, dinheiro, cartões… Sabe como é mulher, né moço? Sai trocando de bolsa e acaba esquecendo alguma coisa sempre. Que bom que fui parada aqui, senão ia chegar no cinema e não teria dinheiro nem para o estacionamento. Seria um vexame, não é mesmo?

–       Mas minha senhora, eu preciso da sua carteira.

–       Eu também, moço. Tudo meus está lá. Não posso sair sem essa carteira, seria um verdadeiro desastre. Olhe, mas só tem uma maneira da gente resolver isso; eu vou ter que ir lá buscar. Até pediria para alguém trazer, mas meus pais viajaram e isso seria impossível. E meu amigos já estão todos no cinema me esperando. O Sr. sabe como é, né? Olhe, realmente mulher é terrível mesmo. É um troca troca de bolsa, de carteira. Sabia que isso ia acabar acontecendo…

E ela começou a falar e falar sem parar, e a contar histórias sobre a falsa viagem dos pais, sobre os amigos que a esperavam no cinema, sobre o namorado (ou seria ex?) que tinha pedido um tempo, sobre o quanto as mulheres se embananam na hora de trocar as coisas de uma bolsa para outra que ele não teve outra opção a não ser libera-la.

–       – Tá bom, senhora. Pode ir lá buscar a carteira. Mas depois traga aqui, ok?

–       Claro! Muito obrigada!! O senhor é realmente muito gentil, viu? Vou lá rapidinho e já volto. Minha casa é logo ali, nem vou demorar. Muito obrigada mais uma vez. Até mais.

–       Até mais!

E essa foi a ultima vez que se viram. Ela dirigiu até o cinema, cantarolando e se achando muito esperta e ele ficou feliz por nunca mais ter que ouvir novamente toda aquela história sobre bolsas, carteiras, namoros, mulheres…

* Baseado em história assustadoramente real

Anúncios